Aula de Alemão

Hoje tivemos a oportunidade de assistir a uma aula de alemão que começou com uma introdução feita pela formadora.

Na Alemanha, o domínio da língua alemã é uma condição sine qua non para que qualquer cidadão possa ingressar no mundo do trabalho.

Tendo em conta ser a re-orientação vocacional e a integração profissional o core business do BFW, todos os clientes do centro que não possuam este pré-requisito terão que, obrigatoriamente, frequentar um curso de formação com a duração de 1 ano. Só após reunir competências linguísticas em alemão é que os clientes estão aptos a iniciar o seu período de formação e requalificação profissional.

Numa primeira fase, as turmas eram constituídas por alemães e estrangeiros, todavia, dada a acentuada diferença ao nível do conhecimento da língua entre os clientes e os estrangeiros, nomeadamente o enorme fluxo de refugiados que a Alemanha tem acolhido nos últimos anos, optaram por constituírem turmas de alemães e turmas de estrangeiros. Segundo a formadora, esta nova abordagem tem-se revelado mais adequada pois tem em conta o background dos clientes. Desta forma tem-se verificado uma maior motivação por parte dos clientes traduzindo-se numa maior taxa de sucesso. 

Nesta nossa experiência tivemos a oportunidade de contactar com uma turma de estrangeiros, alguns dos quais refugiados, oriundos de países tão díspares social e culturalmente tais com: Croácia, Rússia, Eritreia, Síria, Camarões e Letónia. A pergunta que se impõe é: Como ensinar Alemão a um grupo tão heterogéneo onde não existe uma base linguística comum entre formandos e formador?

Foi-nos então explicado que no início, apesar das dificuldades serem enormes, estas são encaradas como um desafio aliciante por parte dos formadores. Estes começam por explorar com os seu clientes, de forma tátil, o meio ambiente que os rodeia. Primeiro a sala, o interior e exterior do edifício, atividades da vida diária, ida ao supermercado, etc. Desta forma prática os formandos vão adquirindo o vocabulário básico usado no seu dia a dia. Progressivamente o Alemão torna-se na plataforma linguística preferencial de comunicação e socialização.

Tal como o referido acima, finda esta etapa os clientes estão prontos para efetuar a sua formação e reorientação profissional com vista a uma plena integração no mercado de trabalho.

Depois de explicado o funcionamento desta área de formação fizeram-se as apresentações individuais do nosso grupo e dos formandos. Nesta fase o inglês foi a língua que possibilitou a comunicação assumindo a formadora o papel de tradutora do e para o alemão.

Tivemos, ainda a oportunidade de assistir a uma outra aula de alemão que ficou aquém das minhas expectativas uma vez que se resumiu praticamente às apresentações onde, mais uma vez o inglês foi o idioma dominante.

Dado o meu total desconhecimento relativamente à língua alemã, tinha a esperança de poder aprender algumas palavras ou expressões nesta aula. Uma vez que se tratavam de alunos que estavam a terminar o ano de formação, poder-se-ia ter simulado uma aula para iniciantes de modo a permitir algo básico como cumprimentos e algumas expressões simples.

Dada a duração desta visita, duas semanas, a via informal tem-se revelado um excelente veículo de aprendizagem.

Tschüss! (até breve, em alemão)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sobre a cidade de Colónia

Aachen??? Em Português, pode ser Aquisgrano ou Aquisgrão!

Filme "Imagine"